Home

»

Oficial de justiça teve carro e celular levados durante assalto a mão armada em Vila Velha

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Um oficial de justiça de 61 anos, atuante no município de Vila Velha, foi assaltado enquanto realizava o cumprimento de suas funções e entregava uma intimação. O caso ocorreu no início da noite de quinta-feira (16/5), no bairro Cocal, em Vila Velha. O oficial foi surpreendido quando chegou até uma residência da região para entregar uma intimação judicial. Ao conversar com uma das partes, foi abordado por um assaltante e teve o veículo e, também, o celular (que estava dentro do carro) levados pelo suspeito.

A vítima contou que no momento em que o crime aconteceu conversava com a pessoa que estava recebendo a intimação quando um bandido, armado, anunciou o assalto e levou os instrumentos de trabalho dele. O oficial de justiça relatou ainda que o assaltante levou o carro e o aparelho de celular e fugiu, logo em seguida, pois foi tudo muito rápido.

O oficial de justiça ainda descreveu que outros colegas relataram, recentemente, que já vêm ocorrendo assaltos, furtos e abordagens a moradores e visitantes naquela localidade. Moradores da região também relatam que há algum tempo o número de assaltos têm sido constantes na região.

A Polícia Civil informou que o caso ainda segue sob investigação da Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), e relatou que nenhum suspeito foi identificado ou detido até o momento e que o veículo também não consta ainda como objeto recuperado.

O presidente do SINDIOFICIAIS-ES, Paulo Sérgio Torres Meinicke, esclarece que o Sindicato têm recebido e acompanhado de perto, cada vez mais, registros e reclamações de que os oficiais de justiça se vêm obrigados a colocar em risco os próprios patrimônios no exercício de suas atribuições.

De acordo com o relato da vítima, a pior parte de vivenciar essa situação toda foi ver a insegurança da atividade dos oficiais de justiça no trabalho externo, pois não se trata somente da questão de sofrer um assalto e acabar colocando o próprio patrimônio em risco, ou de fato perder os bens materiais (que também são instrumentos de trabalho). Mas, sim, que a impressão pessoal dele é de que o que precisa ser enfatizado agora é o ponto de ter que lidar com o sentimento de impotência e frustração de se ver vítima da violência e da insegurança para trabalhar e diligenciar.

O oficial de justiça ainda declarou que mesmo assim, sabe que fez a coisa certa ao entregar seus bens ao meliante para manter a própria integridade física e garantir o bem maior, que é a vida.

Confira mais Notícias

Notícias

Curso teórico-prático reúne oficiais de justiça para aprendizagem de defesa pessoal

Notícias

Curso sobre “Aplicabilidade do Sistema Infoseg” será realizado pela Emes com apoio do SINDIOFICIAIS-ES em agosto

Notícias

Emes e SINDIOFICIAIS-ES promovem curso de capacitação sobre diligência segura para oficiais de justiça

Notícias

Com auditório do pleno repleto de oficiais de justiça, presidente do TJES reconhece a legitimidade de pautas da categoria

Notícias

Curso remoto da Emes sobre o Sistema Infopen reúne turma de mais de 80 oficiais de justiça

Sem categoria

Com apoio do SINDIOFICIAIS-ES, Emes promoverá curso remoto sobre o “Sistema Central de Mandados”

Notícias

Inscreva-se no curso “Diligência Segura – Minimização de Riscos”

Notícias

Oficiais de justiça vão ao TJES pedir a análise do requerimento referente à IT